A integração como caminho para a transformação digital – Parte 4

 

O Gartner definiu integração pervasiva (ou ubíqua) como a ação de integrar aplicativos on-premises, aplicativos na nuvem e fontes de dados, parceiros de negócios, clientes, aplicativos móveis, redes sociais e dispositivos IoT, para promover competitividade das organizações no universo digital, TI bimodal e outras estratégias modernas de negócios e tecnologia.

 

Segundo eles, uma plataforma de integração híbrida orientada a auto-atendimento (HIP), alinhada com os objetivos do negócio, é a chave para atender as necessidades corporativas de integração.

 

Uma plataforma de integração híbrida para transformação digital

 

A base de uma plataforma de negócios digital é uma solução de integração híbrida (Hybrid Integration Platform - HIP), que atenda às necessidades de integração abrangentes da organização, apoiando diferentes tipos de usuários, desde especialistas de integração a usuários de negócios e diversos modelos de implantação: no local, nuvem, celular e dispositivos de ponta para o IoT.

 

Microsserviços, contêineres e APIs

 

Microsserviços, contêineres e APIs são a trindade sagrada das tecnologias de transformação digital e, como tal, são centrais para a integração generalizada.

 

Microsserviços estruturam um aplicativo como um conjunto de serviços empresariais pequenos, vagamente acoplados, que podem ser escritos em diferentes linguagens e implantados de forma independente.

 

Muitos serviços SaaS também podem ser considerados microsserviços. A arquitetura microsserviços permite a entrega e a implantação contínua de aplicativos grandes e complexos. A integração torna-se mais importante do que nunca em um mundo de microsserviços em que pequenos serviços especializados devem ser orquestrados para atingir os objetivos do negócio.

 

Microsserviços são frequentemente disponibilizados por meio de APIs e implantados em contêineres.

 

Um contêiner inclui tudo o que é necessário para executar um microsserviço: binários, bibliotecas, configurações - reunidos em um pacote leve e portátil. Os contêineres permitem que os microsserviços se movam de forma confiável e transparente de um ambiente de computação para outro, seja um laptop de um desenvolvedor ou uma nuvem pública. Os desenvolvedores podem programar uma vez e implantar em qualquer lugar, sem alterações de código.

 

Os microsserviços, os contêineres e as APIs são importantes para a transformação digital, por permitir que os desenvolvedores criem e modifiquem serviços de forma mais rápida e flexível e os implementem automaticamente em nuvens públicas, privadas ou híbridas ou na ponta. A integração híbrida em um mundo de microsserviços deve abranger um amplo espectro de casos de uso, do núcleo para a ponta.

 

Necessidades básicas da integração

 

As equipes centrais de TI poderão criar aplicativos customizados nativos na nuvem (ou uma mistura de nuvem e on-premises) com uma abordagem inicial por API e as implantará em plataformas baseadas em contêineres. Também fornecerá dados e serviços básicos para as linhas de negócios, sob a forma de microsserviços disponibilizados através de APIs.

 

"As APIs são os condutores do sistema nervoso do negócio digital."

 

 

 

 

As equipes de TI precisam obter gerenciamento completo do ciclo de vida da API, para modelar, criar, publicar, operar e manter as APIs internas e externas. O sistema de gerenciamento de API também deve regular as políticas da API, como requisitos de segurança ou acordos de nível de serviço (SLAs), definidos pela equipe multifuncional de governança da nuvem.

 

Plataformas de integração como serviço (Integration Platforms as a Service - iPaaS) são soluções de integração para um mundo nativo na nuvem. Uma iPaaS permite o desenvolvimento, execução e governança de fluxos de integração complexos, conectando qualquer combinação de microsserviços on-premises e baseados na nuvem, ferramentas SaaS e dados.

 

Como uma iPaaS é totalmente hospedada e gerenciada por um fornecedor de integração, os desenvolvedores podem se conectar facilmente aos serviços na nuvem e on-premises, sem ter que se preocupar com a infraestrutura subjacente. A iPaaS deve, no entanto, controlar as políticas de governança da nuvem, definidas pela equipe multifuncional de governança da nuvem.

 

Necessidades de integração na ponta

 

A plataforma de aplicativos como serviço (aPaaS) é um ambiente de aplicativos de código de nível baixo, que permite aos integradores (que podem ser desenvolvedores de linha de negócios ou usuários corporativos) criar aplicativos totalmente funcionais.

 

Uma aPaaS também pode facilitar casos de uso de integração, nos quais os usuários podem aproveitar os conectores pré-construídos, conectar aplicativos ou obter informações unificadas junto aos sistemas centrais.

 

Os integradores poderão criar novos fluxos de integração configurando-os, em vez de criá-los do zero. Os serviços de integração como serviço (iSaaS) permitem aos usuários corporativos sem habilidades de codificação, integrar dados de vários serviços na nuvem.

 

Os usuários corporativos nem pensam que isso se trata de um processo de integração. Eles simplesmente querem compartilhar dados entre sistemas, sem ter que copiá-los manualmente.

 

Os casos de uso da Internet das Coisas (IoT) introduzem novas exigências para a  integração. Um gateway de integração IoT deve interconectar todos os dispositivos da ponta, usando uma variedade de padrões de comunicação IoT.

 

 

Internet das Coisas - Internet of Things

 

 

Os dispositivos IoT geram grandes volumes de dados pelo sensor e os gateways IoT podem ter conectividade não confiável, dispendiosa ou lenta  para os serviços centrais ou na nuvem. Os serviços de IoT, portanto, nem sempre podem confiar no processamento pela nuvem para tomar decisões em tempo real.

 

Em vez disso, os gateways podem processar alguns dados e tomar algumas decisões localmente em tempo real. Um gateway de integração da IoT pode filtrar e agregar fluxos de dados do sensor na ponta e enviar apenas informações relevantes, como erros ou alertas, para um datacenter privado ou uma nuvem pública.

 

 

Não perca os próximos textos e não deixe de ler os outros textos de nosso blog, onde abordamos vários assuntos relacionados a BI, BA, MDM, governança e integração de dados e saiba como as organizações estão se beneficiando com esses recursos.

 

< Parte 3   Parte 5>

  

Baixe nossos eBooks gratuitos:

Clique nas imagens para baixar

 

eBook Integração de Dados

 

eBook: A evolução do Business Intelligence para o Business Analytics"

eBook 2: Tipos de gráficos para Business Analytics 

eBook 3: Entendendo o Master Data Management

eBook 4: Governança de dados