Cenários preditivos e tomada de decisão




De acordo com o Gartner Group, business intelligence e analytics continuarão no foco das áreas de TI das empresas em 2017, com grandes investimentos em software tradicional de BI, serviços na nuvem e em aplicativos para dispositivos móveis e funcionalidades sociais.


Entretanto, conforme cresce o número e os tipos de soluções de BI, também aumenta o risco de fracassar ao escolher o software errado para o seu problema, assim como ter usuários finais sem entender ou não usar adequadamente a solução.


Para ajudar a evitar erros potenciais bastante caros e obter o máximo do seu investimento em software de BI, apresentamos abaixo os nove erros mais comuns que as organizações cometem ao escolher e implementar uma solução de BI. Vamos lá:


Erro número 1: Não definir os problemas de negócio que se deseja solucionar


Um avião não pode decolar sem um destino e um plano de vôo. Da mesma forma, as empresas não devem sair correndo atrás de ferramentas de BI sem ter uma clara definição do que se deseja alcançar.


Não é possível estimar e gerar ROI (return on investment) sem delinear um caso corporativo específico a ser resolvido e determinar por que e onde alavancar big data trará mais resultado nas operações.



Erro número 2: Não ter o apoio dos usuários finais para a aquisição


A área de TI tem uma tendência de adquirir ferramentas sem obter o apoio conceitual e, principalmente, orçamentário das pessoas que utilizarão a solução (líderes e colaboradores), acreditando que os usuários utilizarão a nova tecnologia simplesmente porque a empresa a está adotando.


Mesmo as melhores ferramentas de BI são ineficazes se não forem adequadamente utilizadas. Pode entupir o pessoal de treinamento e normatizar o uso por decreto, que a solução somente será adotada se os usuários sentirem os benefícios que ela traz aos seus processos de trabalho. Você sabe como funciona...


Ajude-os a entender por que deverão usar a solução. Apresente uma proposta de valor e a adoção acontecerá.



Erro número 3: Não considerar aspectos legais e de segurança


Não cometa o erro de esquecer ou minimizar a governança dos dados. Oferecer todos os dados para todas as pessoas e depois dizer para elas explorarem não é uma boa ideia. Para proteger sua empresa e seus clientes, certifique-se que o seu novo sistema de BI trabalha em consonância com a política corporativa de segurança da informação e com as obrigações legais.



Erro número 4: Ficar impressionado com as características da solução e esquecer a integração com os sistemas legados


A maioria das empresas avalia as soluções de BI em termos de funcionalidades oferecidas, como relatórios e queries, painéis (dashboards), exploração e descoberta, OLAP e análise, visualização de dados (data visualization), analítica preditiva e gerenciamento de indicadores de performance – KPIs em balanced scorecards.


Algumas se esquecem de avaliar características de integração com outras aplicações ou portais corporativos, thin e thick clients, dispositivos móveis e sistemas corporativos como o ERP, CRM, aplicações na nuvem ou serviços contextuais (Master Data Management-MDM, Data Qualify-DQ ou outros serviços externos).



Erro número 5: Escolher uma solução que pode escalar e se adaptar


Um dos maiores erros que se deve evitar é escolher uma solução que não é ágil. Em organizações que são líderes e se reinventam constantemente, a análise de dados individual (self-service) se tornou uma norma.  A infraestrutura monolítica está desmoronando em favor de soluções que podem trabalhar com novas fontes de dados, com flexibilidade e facilidade de uso dos dashboards.


É preciso também ter certeza de que a solução escolhida pode crescer e se adaptar às necessidades do negócio, de forma que você não precise procurar por uma nova solução em pouco espaço de tempo.



Erro número 6: Não considerar os usuários que usam dispositivos móveis


Leve em consideração a mobilidade quando escolher a solução de BI. COMO consumimos o BI é tão importante quanto O QUE consumimos. Em alguns casos, um simples indicador de desempenho (KPI) apresentado em um celular será tão útil quanto uma pilha de relatórios em papel.



Erro número 7: Apressar a implantação


Uma implantação de sucesso quase nunca é uma implantação rápida e uma implantação rápida quase nunca é uma implantação de sucesso. Ao desenvolver uma solução de BI, paciência é uma virtude.


Implemente o software de forma incremental. Ao invés de tentar solucionar todos os problemas do negócio de uma vez só, priorize etapas específicas. Após resolver o primeiro problema, passe para o próximo e seja flexível na sua abordagem. Leve em consideração que as respostas validarão a estratégia e terão grande impacto nas operações do negócio. Não espere todas as respostas de uma vez só.


É importante dedicar algum tempo para o treinamento para ter certeza que os usuários estão conseguindo adquirir e desenvolver as habilidades necessárias para usar com eficácia a solução.



Erro número 8: Treinamento insuficiente (ou erro no orçamento do treinamento)


Evite gastar todo o orçamento nas licenças do software e em algumas semanas de treinamento para os usuários. Os sistemas de Bi são estruturas complexas, que requerem muito treinamento para que os usuários adquiram valor genuíno da solução.



Erro número 9: Não extrair e compartilhar a inteligência por trás dos dados disponíveis


Algumas empresas extraem informação de valor do seu software de BI, mas não a compartilham, analisam ou tomam ação em função dela. Isso é um grande erro. Analisar adequadamente e compartilhar a informação coletada, aplicando-a aos modelos do próprio negócio faz com que as empresas evitem riscos e tomem decisões baseadas em informação.



Fique ligado!