• Roberto Thomazette

O que é visão centrada em dados?


Para que os dados se tornem o ativo corporativo estratégico que eles devem ser, é preciso liberá-los dos silos de aplicativos. Não se trata apenas de dissociá-los, mas extraí-los desses silos.


Quando isso acontece, os dados podem se estruturados e adequados para inúmeros usos, e não apenas para um único aplicativo e processo de negócios.


Isso significa que os dados estarão acessíveis e poderão ser utilizados, independentemente da plataforma, do aplicativo ou do dispositivo que os criaram e que as integrações, provisionamentos, segurança, qualidade de dados e gerenciamento são tratados de maneira inteligente e sistemática em todos os aplicativos e situações de uso.


Com essa abordagem, os dados estarão prontos para alimentar tudo o que for necessário aos negócios, desde o monitoramento de estratégias e desempenhos até a forma como você cria os produtos e interage com os clientes.


O valor da visão centrada em dados


Uma visão centrada em dados significa que os seus dados estão preparados para o que der e vier. Estão prontos para serem implantados nos locais em que são mais necessários aos negócios.


Estão prontos para serem integrados a novos aplicativos, combinados com outras fontes de dados e inseridos em novas ferramentas de análise, visualização e inteligência.


E o mais importante: essa mudança não ocorre em detrimento da visão centrada em aplicativos. Você ainda pode examinar e aperfeiçoar qualquer conjunto de dados no contexto de um aplicativo. Mas, agora é possível multiplicar o valor dos dados com a segurança de que eles estão preparados para desempenhar um papel muito mais abrangente nos seus negócios.


Este é o poder de uma perspectiva centrada em dados.



A estrutura acabou?


Um mundo novo e estruturado do Hadoop-y, em que os dados são disponibilizados para cada necessidade, não surgirá da noite para o dia. Na verdade, muito embora apenas 20% dos dados corporativos estejam atualmente estruturados, esses 20% são importantes.


O mundo real é híbrido e nele coexistem SQL e No-SQL. Provavelmente esse será o caminho na próxima década. A nova era de dados está aqui e incorpora a antiga.



A nova dinâmica dos dados


Os novos dados dinâmicos definem os princípios básicos dessa nova abordagem de dados. Ela facilita que sua empresa faça cinco coisas importantes:


Acessar e preparar dados. Descubra fontes de dados importantes, capture os dados e prepare-os para insights


Garantir a qualidade dos dados. Certifique-se que os estrategistas criem uma única versão de alta fidelidade da verdade para cada dimensão crítica dos dados: cliente, produtos, fornecedores, sites, ativos…


Proteger os dados. Mantenha os dados confidenciais seguros e em conformidade com as regulamentações usando técnicas como, por exemplo: segurança de dados, arquivamento e mascaramento e edição de dados com base em funções.


Aprimorar os dados. Capture o contexto dos dados (por exemplo: onde são compartilhados, quando, como e por quem) e suas conexões (como eles se relacionam com outros conjuntos de dados) e ampliando-os com novos dados e metadados.


Provisionar dados. Obtenha os dados certos para as pessoas, os processos ou os aplicativos certos, no momento oportuno, no formato correto e da maneira mais fácil possível.


Os 10 princípios da nova dinâmica dos dados


Aceitar volume. Uma das premissas do Big Data é ir com tudo, em vez de usar técnicas de amostragem projetadas para tornar os dados gerenciáveis. Com as novas tecnologias de dados, você talvez não precise de amostragens. Pegue tudo. 


Preparar uma vez, usar em qualquer lugar. A visão centrada em dados significa fazer a maior parte da preparação de dados uma única vez, centralmente, de modo que, depois, você possa implantar os dados onde eles forem mais necessários.


Automatizar o gerenciamento de dados. Processos manuais são lentos demais para a Nova Dinâmica dos Dados e as habilidades em dados são raras. Você precisa de ferramentas e tecnologias para automatizar a maior quantidade possível de processos, desde a inserção e a marcação até a estruturação e o provisionamento. 


Padronizar e documentar. Crie registros mestres valiosos das suas dimensões de dados mais críticas (por exemplo, clientes) e preencha todos os principais sistemas com eles. Depois, capture e gerencie as definições e os conceitos críticos para os negócios em um glossário, de modo que todos trabalhem nas mesmas bases.


Capturar relações. Nenhum ponto de dados é uma ilha. Revele e capture as relações entre os conjuntos de dados para que você possa ver onde estão as conexões e a dinâmica subjacente dos seus negócios.


Medir a qualidade. Qualidade e limpeza de dados só poderão ser gerenciadas se forem medidas. Atribua responsabilidade, defina as métricas e rastreie e emita regularmente relatórios sobre elas, como se os dados fossem objetos muito valiosos de uma linha de fabricação.


Proteger de maneira inteligente. Saiba onde estão os dados confidenciais e assegure-se de dar a eles o mesmo nível de proteção e segurança, independentemente do local para onde eles vão: da produção para a área de teste, das instalações da empresa para a nuvem, em qualquer lugar.


Habilitar o autoatendimento. Nada acontecerá se for necessário envolver intensamente a TI sempre que alguém da área de negócios precisar preparar e provisionar alguns dados. Considere modelos e ferramentas de autoatendimento que permitam que usuários não técnicos trabalhem sozinhos e façam iterações livremente.


Testar antes de distribuir. Os fluxos e as integrações de dados são importantes demais para serem colocados em produção sem testes meticulosos e gerenciamento de dados de teste, em um ambiente o mais semelhante possível ao ambiente de produção real.


Divulgue suas vitórias. Os profissionais de dados tendem a ser modestos. O que não é tão bom assim quando você precisa conquistar mais recursos para financiar sua jornada para a Nova Dinâmica dos Dados. Conquiste suas vitórias e divulgue-as para os principais envolvidos.


Os benefícios da nova dinâmica dos dados


A Nova Dinâmica dos Dados não é um conceito abstrato para especialistas em dados. É uma disciplina prática e realista, que está à altura dos desafios da nova era de dados. Portanto, qualquer pessoa na sua empresa pode:


Melhorar os questionamentos. Inclusive aqueles que você nunca fez antes.


Fascinar os clientes. Porque você os entenderá melhor – e dará a eles um tratamento equivalente.


Obter respostas mais rápidas e precisas. Portanto, você pode aprimorar sua tomada de decisão.


Reduzir os custos de conformidade. Enquanto fortalece simultaneamente seus controles e relatórios.


Obter respostas mais rápidas e precisas. Portanto, você pode aprimorar sua tomada de decisão.


Tais benefícios não são pequenos e são apenas uma amostra.



Conclusão


A nova era de dados talvez seja um dos maiores pontos de guinada da história empresarial. Tentar dominar a Nova Dinâmica dos Dados usando estratégias, tecnologias de dados e processos antigos é o caminho mais rápido para a irrelevância.


Você não vai ficar de fora, não é mesmo?



Entre em contato conosco.


Não perca os próximos textos e não deixe de ler os outros textos de nosso blog, onde abordamos vários assuntos relacionados a BI, BA, MDM, governança e integração de dados e saiba como as organizações estão se beneficiando com esses recursos.